top of page

Venha experienciar a energia do Entrudo Transmontano e conhecer a cultura desta região especial!

Entrudo Transmontano

Preço

Duração

Datas:

€ 645

5 dias

15 - 19 Fev 25

Partidas:

Oeiras, Sete Rios, Coimbra

Entrudo Transmontano

Itinerário: Bragança | Albufeira do Azinbo | Podence | Parque Natural de Montesinho | Vila Real | Pinhão | Lamego | Lazarim | Salzedas | Ucanha | Tarouca


No coração do Nordeste Transmontano celebra-se o Entrudo mais genuíno e mais colorido de Portugal, consagrado no Património Cultural Imaterial da Unesco em 2019. Celebre conosco esta festa mágica, testemunho atual de costumes ancestrais, numa viagem realmente única que reúne tradições locais, natureza, gastronomia e muitas histórias, contadas pelo nosso guia local. 

PROGRAMA

Dia 1 (sábado): Locais de origem | Bragança

Partida em autocarro de turismo a partir das cidades de origem até Bragança. Paragem para almoço em restaurante local durante o percurso. Chegada a Bragança para assistir ao desfile dos Caretos de Bragança. No sábado de Entrudo, as principais ruas de Bragança enchem-se de tradição, cor, música e animação, com o Carnaval dos Caretos, um dos mais tradicionais em Portugal. O desfile é composto pelos mais diversos grupos de Caretos de Portugal e Espanha, acompanhados pelas centenas de pessoas dos agrupamentos de Escolas e Instituições do Concelho, todas trajadas a rigor. Os Caretos, com os seus fatos coloridos, máscaras e chocalhos, saem às ruas com o objectivo de assustar as raparigas solteiras e dançar ao som de músicas tradicionais. Os trajes típicos desta celebração são feitos por artesãos, para ocultar a identidade daqueles que dão vida aos caretos. O momento alto do desfile será a "Queima do Diabo" que decorre dentro do castelo. Jantar em restaurante local. Alojamento em hotel 4* em Bragança.

Dia 2 (domingo): Bragança | Podence

De manhã, visita guiada da cidade de Bragança: castelo, domus municipalis e igreja. No centro histórico de Bragança, é possível visitar o convento de S. Francisco, as Igrejas de S. Vicente (que foi testemunho da mais célebre história de amor em Portugal: o casamento secreto de D. Pedro e Inês de Castro) e da Misericórdia, e a Sé, com um Claustro Renascentista e sacristia merecedores de visita atenta. O mesmo percurso está recheado de magníficos solares, edificados entre os séculos XVI e XVII. A seguir, visita da magnífica Albufeira do Azibo, incluída no Geoparque de Terras de Cavaleiros. Almoço em restaurante local. Continuação para Podence, aldeia conhecida por ser o berço dos Caretos de Podence e do Entrudo Chocalheiro, tradição milenar tradição ancestral reconhecida em 2029 pela UNESCO como Património Cultural Imaterial da Humanidade. Tempo livre para visita da Casa do Careto e participação nos festejos do Entrudo Chocalheiro, com Caretos à Solta. Regresso a Bragança para jantar e alojamento em hotel 4*. 

Dia 3 (segunda-feira): Parque Natural de Montesinho | Rio d'Onor | Vila Real

Partida em direção ao Parque Natural de Montesinho, um dos maiores parques naturais dos 12 existentes no país, que poderemos visitar para apreciar as paisagens montanhosas e aprender sobre as comunidades locais. Visita interpretativa da aldeia de Rio de Onor com as histórias do nosso guia local. Visita interpretativa da aldeia de Rio de Onor, eleita como aldeia Maravilha de Portugal – aldeia em área protegida. Atravessada pela fronteira com Espanha, pelo que se diz “uma aldeia, dois países”! Almoço em restaurante local. Continuação da viagem em direcção a Vila Real, cidade capital da região de Trás-os-Montes. Vila Real ergue-se a 427 m sobre um promontório que forma como que uma península entre os rios Corgo e Cabril. Visita livre do centro da cidade. Seguidamente, visita guiada da Casa de Mateus, um local mágico que nos permite viajar ao longo dos últimos quinhentos anos da História de Portugal, da Europa e do Mundo. Visita Especial ao Museu da Casa, exposições temporárias e Capela com duração de 50 minutos, com oferta de um copo de vinho. Inclui também o acesso livre ao parque da Casa de Mateus e Capela. Terá
possibilidade de visitar os jardins, horta jardim e vinhas incluindo o museu da vinha ao ar livre e
o bosque. Jantar em restaurante local. Alojamento em hotel de 4* em Vila Real.

Dia 4 (terça-feira): Pinhão | Lamego | Lazarim

Partida para um percurso de beleza incomparável entre Vila Real até Pinhão. Durante este trajecto serpenteante e montanhoso, localizado no coração do Alto Douro Vinhateiro, é possível contemplar toda a beleza da região vinícola do Douro, com as suas vinhas em socalcos, fruto do labor incansável dos homens e mulheres da região duriense, durante séculos. Paragem no Pinhão, para apreciar os seus 24 painéis de azulejos que remetem para as vindimas, para a pisa das uvas e para o transporte do vinho, em barcos rabelos, até Vila Nova de Gaia. Tempo livre junto ao rio Douro. Seguidamente, percurso entre Pinhão e Peso da Régua na N-222, o troço de estrada deslumbrante que naquela que é considerada uma das mais belas estradas do país. Paragem em Lamego, para visita do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios e da Catedral. Almoço em restaurante local. De tarde, participação nas festividades do Entrudo de Lazarim, uma tradição que se realiza na aldeia de Lazarim, concelho de Lamego, localizada na região do Douro. É conhecido pelas máscaras de madeira que, em conjunto com os fatos são o destaque da celebração. Jantar em restaurante local. Alojamento em hotel de 4* em Vila Real.

Dia 5 (quarta-feira): Ucanha | Tarouca | Salzedas

De manhã, visita da região do Vale do Rio Varosa, conhecida pela quantidade de mosteiros e igrejas com ligação à Ordem de Cister e de vinhas de origem Cisterciense. Visita do Mosteiro de S. João de Tarouca, o primeiro Mosteiro Cisterciense em Portugal e da Igreja de S. Pedro de Tarouca, um templo do séc. XIII de transição do românico para o gótico. Continuação para a visita de Ucanha. Durante a ocupação romana, as terras férteis do vale do Varosa começaram a ser exploradas, e as ruínas da via romana que conduzia a Lamego podem ainda ser vistas na região. Na época medieval, os monges cistercienses instalaram-se e construíram uma torre e ponte sobre o rio, para cobrar portagens do couto de Santa Maria de Salzedas. Hoje em dia podemos admirar algumas das estruturas medievais de origem cisterciense, como a Abadia Velha, a Ponte Fortificada, assim como as igreja matriz e o pelourinho do século XVII. Partida para Salzedas. Visita do Mosteiro de Santa Maria de Salzedas, construído no século XII com o apoio da corte do Rei D. Afonso Henriques e em torno do qual se desenvolveu a povoação. Visita do pequeno bairro judeu, com as suas ruas estreitas e tortuosas e edifícios vernaculares próximos ao antigo mosteiro cisterciense. Almoço em restaurante local. Regresso aos locais de partida. Fim da viagem.

Nota: Tendo em conta as especificidades das festividades locais, este programa poderá sofrer alterações, sempre em benefícios dos participantes, que serão devidamente comunicadas.

bottom of page